sábado, 30 de abril de 2016

O Caxixi

O caxixi é um instrumento idiofone do tipo chocalho, de origem africana. É um pequeno cesto de palha trançada, em forma de campânula, pode ter vários tamanhos e ser simples, duplo ou triplo; a abertura é fechada por uma rodela de cabaça. Tem uma alça no vértice. Possui pedaços de acrílico, arroz,conchas ou sementes de Tinquim secas no interior para fazê-lo soar. É usado como instrumento componente das rodas de capoeira , complementar ao berimbau.
A mão direita que segura a vareta entre o polegar e o indicador, segura também o Caxixi, com o médio e o anular, Desta maneira, cada pancada da vareta sobre a corda é acompanhada pelo som seco e vegetal do Caxixi.
Nos antigos Candomblés de Caboclo, não se usava atabaques; mas, sim cabaças grandes chamadas takis e outras chamadas yá. Com o decorrer do tempo, passou-se a se utilizar o atabaque (que em Angola denomina-se ungoma).
Não se usava o agôgo; usava-se o caxixi. Também não se usava o adjá para puxar o caboclo. O caboclo vinha sempre em sua toada ou cantiga.

Eu vi o caboclo surgindo na mata virgem
Eu vi o caboclo encostado num tronco
de arvore, com seus braços cruzados, sua
pele bronzeada, suas feições de uma beleza
máscula, trazendo nos lábios um sorriso de bondade...
Seu porte varonil identificava sua coragem e o destemor de um bravo guerreiro...
Entre belos colares de sementes e conchas, ostentava uma guia cujas contas
verdes, vermelhas e brancas, simbolizavam a vibração de Oxóssi...
A tiracolo, seu bodoque ornado de búzio e um CAXIXI com sete flechas...
Eu vi o caboclo na mata...

O caxixi é um chocalho de cesto, originário da cultura bantu, que pertencente à região africana do Congo-Angola, no qual era utilizado em rituais e cerimoniais. O instrumento chegou ao Brasil, trazido por escravos.
O caxixi pode ser encontrado em tamanhos que variam de 10 a 15 centímetros de altura e cerca de 6 centímetros de diâmetro na base. Ele pode ser simples, duplo ou triplo; a abertura é fechada por uma rodela de cabaça.

Por. Adriano Figueiredo Leite - Presidente da ACALUZ
Revisão e Pesquisa: Diego Bragança de Moura - Historiador da ACALUZ
Pesquisa Site do https://www.wikipedia.org/ 
http://www.todosinstrumentosmusicais.com.br/conheca-o-instrumento-caxixi.html   

sábado, 9 de abril de 2016

Noche Navezuarina, Minha Rainha!

No dia 07 de Abril de 2016, foi minha saída de Vodun Noche Navezuarina, festa muito odara, com participação ilustres de pessoas do Santo, do Vodun, da Umbanda. Cheios de Axé e de Prosperidade Mais uma vez obrigado a todos, em especial ao Historiador da ACALUZ, Diego Bragança de Moura e sua esposa, que se doaram para minha obrigação todos os dias que passei recolhido, sem reclamar do cansaço e do trabalho todo, Renan Alves que também foi incansável no apoio, a Luiza Vitória que todos os dias cuidava das coisas do terreiro para que tudo saísse corretamente, ao meu Pai de Santo, Òyá Mèssúbò que não mediu esforços para tudo sair perfeito, meu Pai Pequeno(Padrinho) Odé Tawandacy - Eldy Costa, e Minha Mãe Pequena(Madrinha) Bolota, sempre atenciosos e carinhosos com tudo que faziam durante minha obrigação, minha irmã Yalorixá Omy Lewancy - Andrea Leite que se mudou para casa do pai de santo para ajudar em tudo relacionado ao dia da festa. Meu muito Obrigado a todos que ajudaram direta e indiretamente. Que Noche Navezuarina possa abençoar a todos com Muito Axé e Muita Luz.
 Eu descansando antes de iniciar os fundamentos
 Tecendo minhas contas
 Cumprindo Preceito
 Paulo e Eu
 Saída da Navezuarina no Salão
 Meu Padrinho Odé Tawandacy, Minhã Mãe Maria e Minha Irmã Omy Lewancy
 Família ACALUZ - Diego, Renan, Odé Tawandacy e Deyse
 Meu Filhos e Padrinho Indiretos - Deyse e Diego
 Baba Oyá Mèssúbò e os Pai Ogãs Alabês 
 Meu Padrinho Odé Tawandacy e minha Madrinha Bolota(Apelido Carinhoso)
 Meu Pai Òyá Mèssúbò e Mãe Dofanitinha da Oxum